25.9.09

A nacionalização do BPN, essa foi "boa", porque somos nós a pagar.

Antes de se dizer que o Bloco "quer nacionalizar" tudo, leia-se o que se diz no programa, para não se estar a papaguear o que os comentadores da SIC e quejandos querem que fique no ar. Há que ser curioso. Em lado nenhum do prog. do Bloco é proposto a nacionalização da banca e dos seguros, mas sim que seja o sector público, através da C.G.D., a intervir no mercado, para obstar à especulação. Os "comentadores", "esticam" o texto de acordo com a sua conveniência (e dos seus patrões), mas não disfarçam o medo de que em Portugal, tal como nos países desenvolvidos do norte-europeu, comece a haver REGRAS. O que os deixa histéricos é que isso é possível. Calaram-se com a nacionalização do BPN, essa foi "boa", porque somos nós a pagar.

Eis o que está no Programa do bloco:

"A banca, os seguros e todo o sector financeiro são decisivos para a actividade económica, para o crédito e para a vida das pessoas e por isso devem ser públicos ou estar SOB O CONTROLO DE POLÍTICAS PÚBLICAS. Mas o Bloco rejeita que os contribuintes e o Estado financiem os prejuízos da especulação e do crime económico, e por isso se opôs à política do Governo Sócrates para o BPN e para o BPP.
Para responder de imediato à crise actual com medidas concretas sem deixar qualquer margem para justificações da inacção, o Bloco defende a recapitalização da CGD [...], de modo a financiar a extensão da sua actividade no seguinte sentido: - A CGD deve cobrar juros não especulativos que, protegendo a sua actividade, SEJAM INDUTORES DE UMA CONCORRÊNCIA QUE PENALIZE OS JUROS ALTOS, tornando-se possível transferir qualquer contrato de crédito sem custos entre bancos;
- A redução do custo do crédito para as pessoas e o apoio ao sector produtivo e às iniciativas da economia social permite ao sistema bancário público dirigir a política de crédito no país;
- Compete ao sistema bancário público apoiar o crédito bonificado para desempregados e outras situações socialmente justificáveis.

[...] A transferência de planos de poupança privados para os fundos de gestão pública deve ser isenta de qualquer tipo de comissão, reduzindo-se a mobilização de poupanças para fundos especulativos;
Ao REGULADOR PÚBLICO compete garantir a informação fidedigna sobre as condições do sistema bancário, como compete estabelecer tectos máximos para os juros praticados nos diferentes tipos de crédito, para evitar os abusos."
Como se pode verificar, é altamente "radical" para os interesses instalados que nos levam parte do salário para a especulação. Claro que voto Bloco. Sem medo!

(baseado no texto de um comentário inserido no jornal "Público")

Dúvidas? Leia! (abre o Programa do Bloco de Esquerda em formato PDF)

24.9.09

Maioria absoluta? Vão-se lixar!

Vamos eleger deputados no próximo domingo.
É a quantidade de deputados de cada área política no parlamento que decide das leis que nos regem, porque estamos (eu sei que parece que não) numa "democracia parlamentar".
Se o PS não tivesse maioria absoluta não tinha passado o Código Laboral, a alteração da leis penalizadoras dos reformados e a mercantilização do Ensino e da Saúde, tinham-se defendido as zonas naturais contra os projectos especulativos (como Tróia!) e o funcionamento decente das Empresas Públicas contra quem as mal-dirige para os entregar aos "amigos".
O PS cedeu a toda a linha, vendeu o seu programa aos especuladores, foi forte contra os fracos e baixou a bola ante os poderosos. E, cereja em cima do bolo: apresenta José António Vieira da Silva, ministro do "trabalho" (do trabalho temporário, leia-se) como candidato num distrito onde há mais precariedade.
Mas Setúbal não esquece e, sem medo das chantagens do voto (in)útil, esta terra de José Afonso dirá de sua justiça. Já temos dois deputados do Bloco, teremos mais.
Isto pode ser "um deserto" mas não somos camelos!
É o número de deputados que conta, "manos"!
(texto de um comentário inserido no jornal "Público)

23.9.09

Nã me venhem com essa merrda de estórria de marrgem sul, que nós têmes o nosse prróprrio rio e nã prrecizames do rio de ninguéin parra nos lecalizarrm

Texto delicioso que anda pelos "mails" do pessoal de Setúbal. Tão difundido que já perdeu o autor... Partilho-o.

"Nã me venhem com essa merrda de estórria de marrgem sul, que nós têmes o nosse prróprrio rio e nã prrecizames do rio de ninguéin parra nos lecalizarrmes!



Este póste éi acêrrca do dialéte da nha terrã.


Labútes têm o dialéte más benite de tôde o Perrtegal e arredorres. Têmes uma data de bairres em que sa fálã dialétes diferrentes.



O nosse clube é o VITÓRRIA, que na é grrande, é enorrme! Ma depos o rai dos jegadorres ficãn todes à babuje e na há mei de marrcárrem gôles. O pove vai tôde verr os jogues e há uma clác que grrita "VAMES EMBORRA VITÓRRIA!", mas norrmalmente depois só batem do bombe trrês vezes. Se a mei dum jogue porr acaze óvérr perrada, o prrimeirro a levarr é o arróles. Fica logo arrepêze de terr aberrte a bocã! - AúA! Apá Sóce!



Em miúdes arranjãn-se amigues nas turrmas do cicle, a quemerr rabeçadinhes e rájás , a jegarr ó begalhe - (MARRALHAS!!) - e ó piã; a brrincárr co bichaninhas e bufas de lobe do Carrnaval. Com dezasseis anes arranjam uma bessiclete a motorr paírr pó liceu. Mais tarrde o pessoal quenhéce-se nos balhes das escolas e já na se deslarrga. As gajinhas começem a temárr a pírrela. Já depois dos trrinta, tudo com grrande cafetêrras e já cáse sen saguentarr denpé, a atrravesárr o Abusrrde e a verr as vistas, como se tivesse a andarr de ferribote, pa trrás e pá frrente, tipo fega, de volta das solteirronas à caça de bêbades. (ajuntãn-se a sorrte grrande e a terrminação)



Lá em Labutes têmes inemigues merrtais: os cagalêtes de Sesimbra e os carraméles de Palmela. São aqueles que dizem a todágente que mórram em Labútes, cando a verrdade é ca são dos arrebáldes. Qando nos encontrrames faz semprre faíscã e há semprre alguém a atiçarr pándarr à mócáda - enhagórra!



Todá gente que lá vai pensa que só se come chôque frrite, carrapaus e sarrdinha. Sabem o que é uma esquilhã? um chárre do álte? umas irrózes? uns encharrôques? uns alcorrázes? Têm éi quirr àalóta!



Apanha-se a caminéte dos Béles, cà noite tá chei de gajinhas enquelhidas de frrio áborrdarr os carres. Os carres parrem e fiquem ali a empacharr, a discutirr quantes marréis são, porrque são fómícas. O pessoal tem mede de se espatarr, mas nunca desólhã e conduz com cuidade.



A nha terra é a má linda e não há em lade nenhum um ri azul igual ó meu! (e na me venhem com essa merrda de estórria de marrgem sul, que nós têmes o nosse prróprrio rio e nã prrecizames do rio de ninguéin parra nos lecalizarrmes!)
"

22.9.09

Não há pachorra.

Texto de um comentário inserido no Arrastão. Ao sabor do teclado e do mau génio:

Depois de ler os jornais de “deferência”, estou cada vez mais preocupado. Preocupado com o “imposto sobre as grandes fortunas” que levou à fuga os “empreendedores” espanhóis e lançou a economia dos “nuestros hermanos” no abismo. Preocupado com “demagogia igualitária” de “um ensino sem propinas”, como faz esse país do terceiro-mundo, a Alemanha. Preocupado com a ideia absurda da instauração de um Serviço Nacional de Saúde pago com os impostos de todos, tal como acontece nos atrasados Canadá e países norte-europeus…

E ainda mais preocupado, depois de ouvir quase todos os comentaristas das tevês a alertar contra as hordas vermelhas que se seguirão ao aumento de deputados do Bloco de Esquerda. Até o meu vizinho Efigénio, admirador do Paulinho das Feiras e taxista em “part time”, já me disse que está um cruzador de nome “Aurora” escondido nos sapais do Tejo.
À cautela, já escondi a minha escova de dentes antes que a nacionalizem e já estou a descontar o meu ordenado para uma conta Oh-se-chove.

Ah, estive a ler isto algures antes de vir para aqui:

“Cinco administradores executivos [da REN] receberam 1,34 milhões de euros só em prémios de gestão. A REN – Redes Energéticas Nacionais pagou ao todo, em 2008, 1,41 milhões de euros em prémios, incluindo gestores de outras firmas participadas pela REN. Cada um dos cinco administradores ganhou no ano passado 596 mil euros por ano. José Penedos, presidente da REN, diz contudo que “a REN é uma das empresas mais mal remuneradas” nas operações da bolsa.”

Não acredito, é “propaganda vermelha” de quem se aproveita da crise, só pode ser. Inveja do sucesso dos outros!
Eu acredito piamente (uma maravilha os computadores portáteis!) que se deixarmos estes gestores governarem o país a seu belo prazer atingiremos o objectivo que todos os ventríloquos das tevês e os seus bonecos no propõem aqui. Já vos disse que era antipatriota?

17.9.09

À conquista das Ruas da Cidade

O Bloco de Esquerda vai promover um passeio de bicicleta na baixa de Setúbal na próxima sexta-feira, dia 18 de Setembro. A concentração é às 17h30 na Praça do Bocage.
Uma óptima oportunidade para ganhar coragem, tirar a bicicleta da garagem ou do sótão, olear as correntes, afinar travões e pedalar pelo direito às ruas para todo(a)s.
Cuidado com os buracos em redor das tampas de esgoto, autênticas armadilhas para os ciclistas.
Quanto ao resto, o número de bicicletas na rua talvez intimide a falta de respeito dos tarados que não sinalizam a presença dos ciclistas quando os ultrapassam...

Atenção
Fui informado que, "a pedido de muitas famílias" que queriam que a actividade fosse feita ao fim-de-semana, o passeio foi adiado. Em princípio, para o dia 3 de Outubro, sábado, às 10h30. A data será oportunamente confirmada pelos ciclistas organizadores da iniciativa, disso daremos conta aqui.

Agenda

(clicar para ver imagem)

Exposição de Arte Contemporânea nos Claustros do IPS.
(no edifício-sede do IPS, junto ao túnel que liga o Quebedo à Avenida Luísa Todi)

14.9.09

E agora para uma coisa completamente diferente: "Kwoon"

Deu-me para aqui.
Lindíssimo vídeo da autoria de Yannick Puig baseado na música "I Lived On The Moon" do primeiro trabalho ("Tales & Dreams"
, 2006) da banda francesa "Kwoon".

Melhor videoclip no Aix Videoclip Festival 2008 (França)
Melhor videoclip no festival P.I.A.F.F (Itália)
Melhor videoclip no festival Art Futura (Barcelona, Catalunha)
Melhor videoclip no Webcuts Festival (Berlim, Alemanha), Dezembro de 2007.

O nome "Kwoon" tem origem no equivalente chinês da palavra japonesa "Dojo", a casa onde se praticam artes marciais. Deliciem-se com a animação e a música, ou vice-versa:

video
Sítio oficial: http://www.kwoon-music.com

Letra da música em inglês
Obrigado a Thomas 111143636 no YouTube
(Thanks to Thomas 111143636 on YouTube)

"I Lived On The Moon"

Dear little lad
Here's the story of my life
I lived on the moon (2x)
Grey flying snakes along
Mountains of destiny while
The three tailed moneys
Were drawing the stars
Light from the Sun and I
Hide myself on the dark side, alone
I've run so far
To find my way
Then I dream again... alone

Dear little boy, listen
To voices of your soul
It showed you the way of
Silence and peace
Follow your thought and fly
Choosing all the things that you desire
Giant waves, fireflies...
Your dream will be your only shell
Your secrets, your hiding place, my son
Don't let them try
To crush your brain.

Segundo o Prog Archives, este grupo "anda na linha" dos Sigur Rós (Islândia), Godspeed You! Black Emperor (Canadá), Mogwai (Escócia), Explosions In The Sky (Estados Unidos) e Mono (Japão) que se inscrevem num género denominado pelo mesmo site de Post Rock ou Math Rock.

Ah! Clicando em cima, no nome de cada banda, ter-se-á acesso à página respectiva no Prog Archives (em inglês) e, o melhor: terá a oportunidade de ouvir músicas de cada uma delas.
Quem é amigo, quem é?

5.9.09

Quem tramou a Manela?

O jornal "Público" afirma que "Ninguém quer assumir o fim do jornal de Moura Guedes";
O "Diário de Notícias" diz que terá sido o vídeo d' "A promoção [do programa] que pode ter afastado Moura Guedes";
O "Expresso" titula que "Marcelo Rebelo de Sousa culpa administração da TVI e Sócrates"...
Cavaco Silva alerta de Belém, também, sobre a sua preocupação com a liberdade de informação. Era capaz de jurar que Cavaco quando foi primeiro-ministro tinha um ministro, Marques Mendes, que ficou conhecido por ligar para a redacção da RTP a propor o alinhamento do noticiário... mas enfim, está preocupado, isso é que conta.
O PS anda visivelmente incomodado com a história, já que o primeiro-ministro Sócrates falou do jornal da Manuela Guedes numa ocasião pública. Segundo Paulo Portas, esse facto, se não coloca o coloca no local do crime, pode indicar que Sócrates é mandante da coisa através de uns primos do PSOE que terá em Espanha...

No fim da estória chegar-se-á conclusão que os espanhóis donos da TVI chatearam-se de dar antena ao tele-lixo das sextas-feiras e limparam a casa. E à boa maneira castelhana, marimbaram-se para as consequências da coisa em Portugal.

Agora anda tudo "solidário" e pela "liberdade de informação". Farto-me de rir com o ar sério de alguma gente que tem abafado o panorama televisivo aparecendo em tudo o que é comentário, da política internacional às rubricas de culinária.
No meio da histeria "do quem tramou quem"até já estive para apagar este comentário que fiz aqui, em Abril passado, a propósito do noticiário que finalmente foi c'os porcos.
A televisão ficou mais limpa, apesar da mão ter sido a do patrão e não a do Código Deontológico dos Jornalistas. "Deus escreve direito por linhas tortas", dizem.