29.6.10

Era capaz de jurar que já vi comboios eléctricos!

Sócrates enfiou a cabeça no interior de um canhão e descobriu a pólvora:

"Sócrates: estratégia europeia contra alterações climáticas passará pelo carro eléctrico" (link para o jornal Público)


Será que o engarrafamento da capital será "mais ecológico" se for feito com carros eléctricos?


Ao
invés, falemos de comboios.
Os comboios poderiam resolver grande parte do problema do transporte de mercadorias e passageiros deste país, se se investisse a sério nos caminhos-de-ferro. Se não se fizesse o costume, entregar a coisa à voragem do negócio. Sócrates confirma, é um sucedâneo sócio-liberal do liberal-sócio Cavaco: um só viu autoestradas e promoveu o endividamento pelos carros (os "burros" da Irlanda preocupavam-se com o ensino e infraestruturas) e Sócrates completa-o neste desígnio nacional pelo alcatrão.

Na Margem Sul, há uma empresa que monopoliza os comboios e os autocarros do "deserto".
O caso da Fertagus: os tais comboios modernos que ligam Setúbal a Lisboa e que têm um horário que garante longas esperas ou um regresso de táxi a qualquer setubalense que se arrisque a ir ao teatro ou ao cinema a Lisboa; os tais comboios que iriam "reduzir o tráfego automóvel da Margem Sul para Lisboa" e que até teriam - calcule-se! - "parques gratuitos" para os passageiros deixarem o carro. Parques que acabaram pagos e vazios, com os carros dos "clientes" nos acessos e em cima dos passeios em redor.

Com tanto carro eléctrico, a seguir vem uma central nuclear para os alimentar...

O défice energético do país deve-se à dependência do petróleo e esta dependência tem a percentagem maior ligada aos combustíveis consumidos nos transportes. Poupar e utilizar bem a energia.
Apostar nas renováveis para produzir electricidade, aproveitando tudo, da biomassa, à solar, intervindo no mercado para baixar o preço do aquecimento solar da água - ainda escandalosamente caro. Diversificar e descentralizar os centro de produção de energia, mais pequenos e próximos baixam as perdas e o custo do transporte.
Aproveitar tudo, reutilizar tudo. É por aí que se deve atacar, e sobretudo poupar dinheiro apostando em transportes colectivos de última geração, cómodos e que funcionem de acordo com a vida das pessoas e não da rentabilidade a qualquer curso. Por outro lado: o dinheiro cobrado em portagens devia servia para financiar os transportes colectivos e não para engordar os accionistas.
Este país não tem uma rede de transportes colectivos articulada, esta é a verdade.
Este país podia ser bem melhor, não tivessem os governantes brincado demasiado ao "Monopólio" quando ainda eram mais "piquenos".

Nota:
"Sócio-liberal"= liberal com interesses associados.
"Liberal-sócio"= a mesma coisa mas de outra cor.

Os polícias protegem-nos, mas só a Lei nos protege dos polícias.

Comentário aos comentários a propósito disto (link para o "Público")

Cada vez que há uma notícia sobre imigrantes ou minorias étnicas, rebenta o esgoto na caixa de comentários. Basta a alguém ter o azar de viver num "bairro problemático" ou ter a cor errada para ser também um "marginal".Podem apanhar porrada indiscriminadamente, ninguém irá questionar. E a comunicação social embarca no preconceito e nos estereótipos, não questiona, não lhe interessa a verdade, transmite acriticamente o comunicado policial, torna-se megafone.
Os idiotas ficam satisfeitos, vítimas dos sortilégios dos poderosos que os roubam diariamente, sentem-se vingados quando outros mais desgraçados as pagam - se têm culpa ou não, não interessa. "São todos iguais", dizem sempre.
Resta-nos ficar à espera que a sua "sabedoria" venha a eleger os que que antes vilipendiaram para colocar lá estes de que já não gostam, para depois fazerem o contrário. Agradeçam-lhes. Ainda bem que há por aí alguém para culparem pela estupidez das vossas escolhas.

Não há pão, mas sobra circo. Impensável fazerem uma coisa destas se alguém na Quinta da Marinha se queixasse dos vizinhos. E continuo à espera de ver os "carros danificados" do Parque das Nações. Até lá: uso exagerado da violência policial sobre os que "mereciam" e os que estavam no local errado à hora errada.
Independentemente da falta de civismo de alguns cidadãos, começamos a assistir ao recurso à violência policial como a forma "chapa cinco" de resolver situações que aconselhariam a inteligência.
As notícias de espancamentos no Bairro Alto por polícias sem identificação começam a ser um hábito. Já que se colocam câmaras de vídeo em tudo o que é sítio neste país, devemos exigir que o façam nas esquadras, tal como nos Estados Unidos e noutros países. Os polícias protegem-nos, mas só a Lei nos protege dos polícias.

26.6.10

Precisávamos de mais gajos como este para defender os verdadeiros roazes do sado, e acabar com a travessia dos ferrys pela zona B de nidificação.

A Revolução Cultural Sadina...



A montanha continua a parir ratos em Setúbal!

Isto não é uma crítica para quem tenta fazer alguma coisa na cidade ou organizadores do FUMO, apenas uma constatação.
Pelos vistos a tão propalada "Revolução Cultural" ainda está para chegar, assistam aos últimos 20 segundos do video.

Post Scriptum:
Não há Revoluções sem Revolucionários.

the almighty of all things

Já está online a mais recente produção da Low Cost Filmes.

Podem ver aqui a proposta para melhor comercial para a Coca Cola no "Cannes 2010: Coke video contest" promovido pela MOFILM. O video foi finalista.
(clica para ver o comercial)

Aqui podem assistir ao divertido Making of.
(clica para ver Making of)

Hoje ás 22h Logadogue Swing Project na Academia Problemática e Obscura em Setúbal

20.6.10

Obrigado Saramago.

"Creio que na sociedade actual nos falta a filosofia. Filosofia como espaço, lugar, método de reflexão, que pode não ter um objectivo concreto, como a ciência, que avança para satisfazer objectivos. Falta-nos reflexão, pensar, necessitamos do trabalho de pensar, e parece-me que, sem ideias, não vamos a lado nenhum."
Revista do Expresso, Portugal (entrevista), 11 de Outubro de 2008

Tradução da última entrada dos
"Otros Cuadernos de Saramago"

http://cuaderno.josesaramago.org

7.6.10

Esta não passou no telejornal

video

Mãe de Louçã assessora do Bloco de Esquerda.

Também chegou aqui o email a "denunciar" que o Bloco de Esquerda havia nomeado como sua assessora a senhora Noémia da Rocha Neves... Anacleto Louçã. Um mail cheio de pontos de exclamação e acusações em letra maiúscula...
Mas não se deve confiar em tudo o que nos chega por email...
Afinal o despacho tem mais do que seis linhas, há mesmo uma que diz que a senhora desempenhará o trabalho "sem remuneração", coisa que o(s) autor(es) do email não conseguiram verificar, tão entusiasmados estavam a colocar a "mensagem" em todas as caixas de comentários dos jornais diários...

Resumindo, a senhora já se poderá dirigir a um funcionário da A.R. no cumprimento do seu papel de assessora sem que este lhe pergunte com que autoridade. E até, calcule-se! já poderá estacionar a sua viatura no parque dedicado aos assessores.

Au suivant!