12.4.07

Urgente para Setúbal!

Passa palavra!

Já várias pessoas estão hospitalizadas o assunto é sério. Existe uma mensagem que anda a passar nos telemóveis com mais informação do que a que tenho disponivel, cito: "Incidente. Avaria na rede de água aumenta os niveis de cloro. Deixe correr a água para evitar problemas digestivos pela ingestão. Divulgue a informação."

Além da privatização das águas continuar a fazer azia($$$) ao consumidores de Setúbal, agora a água tornou-se imprópria para consumo!

1 comentário:

CausasPerdidas disse...

Segundo o "Região de Setúbal":

"A empresa Águas do Sado disponibilizou-se para pagar todas as despesas médicas feitas pela senhora que ontem deu entrada no Hospital de S. Bernardo com irritação na boca e na garganta, depois de ter ingerido água com elevado nível de cloro. De acordo com fonte hospitalar, «a senhora teve alta ontem à noite, já que não lhe foi diagnosticado nada de grave».

A mulher residente na Camarinha – uma das zonas afectadas pela sobredosagem de cloro na água, ontem à tarde – foi «a única pessoa a ser observada na urgência hospitalar». No entanto, o “Região de Setúbal Online” ouviu relatos de algumas pessoas que se sentiram indispostas após terem consumido água da torneira. «Senti um ardor na boca e um grande enjoo. De seguida vomitei imenso e comecei a sentir-me melhor. Abri novamente a torneira e reparei que a água tinha um cheiro intenso a lixívia», conta uma senhora residente na zona de Poço Mouro.

Uma avaria no sistema de bombagem de Poço Mouro disparou os níveis de cloro naquela zona e também na Camarinha, Vale do Cobro, Monte Belo Sul e Bairro Afonso Costa. No entanto, após as rádios locais terem divulgado um comunicado a alertar as pessoas para não ingerirem água, um pouco por toda a cidade a população acorreu aos supermercados esgotando os stocks de garrafas de água.

De acordo com fonte da Águas do Sado «a situação normalizou a partir das 16h00 de ontem», estando já resolvida a avaria que causou a sobredosagem. A mesma fonte refere que já falou com a família da vítima assistida no hospital, à qual manifestou «a disponibilidade da empresa para pagar todas as despesas relacionadas com exames e medicação que possam ser necessários».
(Disponível em:http://www.regiaodesetubalonline.pt/noticia.php?codigo=461FB16E28C69)